domingo, 23 de março de 2014

“O diabo me levou para o motel”, diz missionária


Neuzilene contou seu testemunho de conversão em um culto na Missão Resgate em Vitória, nos Espírito Santo. Nascida em um lar evangélico desviou-se com 18 anos, em Belo Horizonte, onde formou uma dupla sertaneja. “Eu me chamava Geise e a outra Jussara. Fomos para o Rio e gravamos programas de TV. Isso na década de 1980″, conta.

Contraiu tuberculose, segundo conta, por se apresentar seminua em shows, rodeios e festas ao ar livre. “Eu estava em pele e osso, Jesus me curou e me liberto. Isso em 1993″. Neuzilene afirma que faz a obra desde 1994.

Mas o maior testemunho da missionária é sua ida ao motel com o próprio Diabo. Neuzilene conta que se reconciliou com Deus quando estava morrendo de tuberculose e destaca que isso aconteceu após o Diabo ter levado a missionária para uma tarde no motel.

Com o Diabo no Motel

“Estive face a face com o Diabo dentro de um motel. Tudo começou quando eu fui para um shopping em Belo Horizonte. Eu estacionei o carro e veio aquele homem de terno e gravata. Mas eu não conseguia ver o rosto dele. Ele se aproximou e me disse que eu era uma loira muito bonita. Respondi, seca, ‘obrigado’. E me convidou: ‘Você quer sair comigo?’ Eu disse que o meu cachê era alto (não revelou o valor) e ele disse que me pagava. Então, entrei no carro dele. Mas eu não conseguia olhar para o seu rosto, enquanto seguíamos para um motel, que na época só tinha uma entrada que também servia de saída dos veículos.

Ele escolheu a suíte. Nós entramos e eu fui para o banheiro. Enquanto eu tomava banho, ouvi uma explosão. Me enrolei na toalha, saí do banheiro e a suíte estava cheia de fumaça preta. E aquele mau cheiro de podre, terrível. Tapei meu nariz e percorri o quarto perguntando: ‘Cadê você? Cadê você?’.

Eu já quase me sufocando com aquela fumaça, liguei para a portaria, perguntando se o homem que estava comigo havia saído, e me disseram que não. Então, eu disse que estava acontecendo alguma coisa e o gerente, acompanhado de duas funcionárias, foi até o quarto. Quando eu abri a porta, eles também sentiram o mau cheiro, quase se sufocaram e constataram que o carro não estava na garagem. Uma das funcionárias, que era desviada da Assembleia de Deus, mandou que eu sentasse e me disse: ‘Olha, você ia ter um pacto de sangue com o próprio demônio. Mas Deus fez com que ele explodisse aqui dentro’. Comecei a chorar e não sabia mais o que falar.”



Fonte: Blog do Sérgio Matias
http://sergiomathias.blogspot.com.br/2013/08/o-diabo-me-levou-para-o-motel-diz.html

domingo, 16 de março de 2014

Agora lascou: Evangélicos pentecostais estão à busca de cadáveres para ressuscitar os mortos

Em obediência a ordem de Jesus que disse aos seus discípulos para ressuscitar os mortos em meu nome, evangélicos viraram cassa defuntos para treinar orações da ressurreição dos mostos, diz BBC
A crença em milagres tem levado alguns evangélicos à ideia de que, se praticarem com afinco, ressuscitarão mortos. E tal conceito não é exclusividade de um grupo isolado.

Para colocar sua tese em prática, os entusiastas precisam de cadáveres: “A prática leva à perfeição”, afirmou Donna Leppitt, membro da Global Awakening, uma organização liderada por seu marido e que reúne fiéis interessados em “aperfeiçoar” a capacidade de ressuscitar mortos através da oração.

A rede britânica BBC produziu uma reportagem sobre a fé em milagres, e descobriu que existem outros grupos semelhantes que acreditam que podem chegar onde a medicina não consegue: trazer a vida de volta aos mortos.

Um grupo chamado Dead Raising, liderado por Tyler Johnson, alegou ter trazido muitos mortos de volta à vida e produziu um documentário chamado “Deadraisers” (ressuscitados, em tradução livre). Johnson também é empresário do ramo de café, o que inspirou piadas por parte de jornalistas, como “levante-se e sinta o cheiro do café”.

“Estas alegações são, por quaisquer padrões, implausíveis. Mas no mundo de cura pentecostal, ninguém se preocupa com isso. Na verdade, quanto mais impossível o milagre (e eles usam o termo sem constrangimento) é melhor, porque é mais eficaz para espalhar sua mensagem”, diz o texto da reportagem da BBC, com acentuado ceticismo e tom crítico.

“Neste país, nós muitas vezes não temos acesso aos cadáveres”, diz Donna Leppitt, que é esposa do pastor Alun Leppitt, explicando o motivo de a tese ainda não ter sido comprovada.

A crítica exercida pela BBC se ancora no fato de que o pastor Alun tem sérios problemas de saúde, e sofre com colite ulcerosa desde os 20 anos. Nesse tempo, teve complicações, passou por cirurgia de grande porte, e agora está em uma lista de espera para uma ileostomia. “Ele precisa de um milagre. Mas até agora, e apesar da oração, nenhum chegou”, zomba a matéria.



Por Tiago Chagas - Gospel+
Fonte: Blog do Gari Martins da Cachoeira
http://martinsogaricgp.blogspot.com.br/2014/03/agora-lascou-evangelicos-pentecostais.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+BlogDoGariMartinsDaCachoeira+(Blog+do+Gari+Martins+da+Cachoeira)