quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Religiões que acreditam em alienígenas


Matéria interessante publicada no Canna Club:




Religiões que acreditam em aliens





Nada de portões sagrados do céu, jardim do Éden, transformar água em vinho ou um velho de barba branca em uma arca: o foco de algumas religiões está na crença em ETs.


Você já ouviu falar em religiões UFO? Pois é, como o próprio nome sugere, são crenças que giram em torno de OVNIs e extraterrestres — nossos vizinhos, e, caso alguém nunca tenha lhe avisado até agora, existe uma série dessas religiões “aliens” espalhadas ao redor do planeta.


Por um lado, é muito egoísmo do ser humano achar que ele é raça mais desenvolvida no universo, pois a quantidade de galáxias descobertas e planetas possivelmente habitáveis são notícias frequentes em sites do ramo.


Por outro lado, algumas dessas crenças alternativas são tão mirabolantes e viajam tanto em fábulas bizarras que fica difícil botar uma fé concreta nelas.

Chen Tao (o caminho direito)

Esse culto foi formado em 1993 — na região do extinto Taiwan —, pela ex-professora de sociologia Hon-ming Chen, e misturava Cristianismo, Budismo, New Age e as inusitadas crenças em OVNIs.


Os fiéis tinham o costume de acreditar em alguns dogmas bem bizarros: na cabeça deles, a ideia em comum era de que a guerra nuclear criou e aniquilou o sistema solar em quatro diferentes eras. E tem mais: que Deus pegou os sobreviventes em um disco voador — sim, eles defendiam essa teoria com unhas e dentes.


Além disso, esse grupo de malucos ganhou destaque ao anunciar que o fim do mundo viria durante a última semana de março de 1998 — até agora, nada. Chen acreditou que Deus iria aparecer na televisão no mundo inteiro ao mesmo tempo, com a guerra nuclear e os desastres naturais acontecendo instantes depois.


Por causa disso, a ex-professora e seus fiéis seguidores se mudaram para Garland, Texas, achando que o lugar — chamado de “Terra de Deus” — iria salvá-los do caos. Contudo, Deus era muito tímido para aparecer na TV ou algo deu errado na transmissão, e o mundo continuou a girar normalmente até hoje. Após o fiasco, o grupo silenciosamente desapareceu na obscuridade e não foi ouvido desde 2001.




Ordem Fiat Lux

Se você pensou que era uma caixinha de fósforos, está errado! Sendo o termo em Latim para “Haja Luz”, a Ordem Fiat Lux teve o início de suas atividades em 1973, quando a sua fundadora — Erika Bertschinger, uma secretária suíça — caiu sobre sua cabeça durante um passeio a cavalo.


Por um milagre dos deuses ou pela loucura depois do tombo, ela descobriu que era a própria Virgem Maria e poderia se comunicar com seres transcendentais, como Jesus Cristo.


Sendo assim, Erika mudou seu nome para Ueriella e fundou seu grupo de seguidores e saiu divulgando suas ideias pela Alemanha. Eles acreditavam em algumas teorias bem malucas: que o mundo seria devastado em meados de 1998, por discos voadores nazistas e desastres naturais, e também que alguns ETs amigáveis viriam para resgatar os poucos humanos escolhidos e usá-los para criar um novo paraíso na Terra.


Porém, depois que o ano de 1998 terminou, a tese deles foi definitivamente para o espaço e o grupo nunca mais teve seus créditos em teorias mirabolantes do tipo.

Academia de Ciências Unarius

Formada em San Diego no ano de 1954 pelo casal Ernest e Ruth Norman — que juravam serem reencarnações de um ser poderoso, chamado Unarius —, essa galera tinha algumas crenças muito estranhas: acreditavam que as proezas psíquicas tendem a crescer se você meditar regularmente com um crânio de cristal — supostamente de 10 mil anos atrás — chamado "Max".


O grupo também ensinava "física interdimensional" aos seus adeptos, que eles afirmavam ter a capacidade de responder a todas as perguntas sobre o universo e toda a sua existência. Além disso, a Terra iria enfrentar uma colisão com outro planeta e este evento marcaria o início de uma era próspera. Era previsto para isso acontecer em 2001, com o desembarque de várias naves espaciais.


Contudo, ninguém viu essa magnífica cena dos filmes de Hollywood ocorrer e, quando a teoria deles falhou, mais tarde veio uma explicação: os ataques de 11 de setembro de 2001 mostraram aos alienígenas que a humanidade ainda não estava pronta para se reunir com eles e, assim, os nossos amigos ETs adiaram o evento.

Forças Dimensionais Exteriores (ODF)

De acordo com Orville Gordon, o fundador da seita Outer Dimensional Forces, algumas "forças dimensionais do terror" começariam o Armageddon na Terra depois que viram como os seres humanos abusaram do planeta.


Então, ele mudou o nome para Nodrog ("Gordon" de trás para frente) e transformou sua casa em uma verdadeira base de pouso para discos voadores. Sabe por quê? Para que os seus seguidores fossem apanhados pelos extraterrestres e levados para um local seguro durante o dia do juízo final.


Especula-se que Gordon morreu e foi enterrado em algum lugar em sua “base UFO”. O grupo tem persistido até hoje em suas teorias malucas.

One World Family Commune

Conhecida como a Igreja Industrial do Consolador do Novo Mundo, essa religião combina muito com os hippies, comunistas, entre outros. O culto surgiu na Califórnia, em 1973, e, de acordo com o seu fundador — um pintor chamado Allen Noonan —, ele teria experimentado uma série de encontros sobrenaturais com extraterrestres (as famosas abduções) e recebia até instruções dos aliens, carinhosamente apelidados de “Galactic Elohim of Galactica”.


Com isso, Noonan mudou seu nome para Michael Allen e começou a formar seu próprio grupo, sob a doutrina central do Uni-Comunismo. De acordo com essa crença, a paz pode ser alcançada quando todos os países estiverem desarmados e as pessoas formarem uma comunidade com os costumes hippies.


Segundo eles, esses alienígenas foram os criadores originais da Terra e um dia iriam voltar para o nosso planeta, ajudando na transformação da sociedade — onde a energia é livre e a injustiça não existe.



I AM Activity

Essa é uma das primeiras religiões UFO que existem no Planeta Azul, iniciando as atividades em 1930. O motivo da crença deles? De acordo com Guy Ballard — fundador do culto —, ele se encontrou com o lendário St. Germain (mestre dos martinistas) em MT. Shasta, na Califórnia, e teria recebido algumas instruções de como comandar o seu povo, através de uma orientação telepática.


Após Ballard morrer em 1939, sua esposa — Edna — tornou-se o principal canal para as mensagens divinas, que ela continuou a receber até sua morte em 1971. Desde então, o movimento tem sido controlado pelo seu conselho de administração, com base em Illinois. Estima-se que eles tenham mais de 300 grupos de seguidores espalhados pelo mundo.

Tempelhofgesellschaft (Sociedade Templo)

Não é uma nenhuma surpresa que os neonazistas gostam de se gabar de sua raça, no entanto, alguns deles vão além e acreditam que seus antepassados ??realmente vieram do espaço sideral. Em uma combinação bizarra de superioridade racial falsa e fascínio UFO, a Tempelhofgesellschaft foi formada em Viena na década de 1990.


A tese era de que a raça ariana teve sua origem com os antigos sumérios do planeta Aldebaran — que teriam vindo para cá há milhares de anos e se estabeleceram em Atlântida. Eles também acreditam que os sumérios serão obrigados a dominar o mundo um dia e conquistar as outras raças, especialmente os judeus.

Seekers

Em 1954, o ilustre Leon Festinger, em mais um de seus estudos revolucionários, presenciou um culto apocalíptico em Chicago — conhecido como “Seekers”. Eles acreditavam que estavam recebendo mensagens de seres chamados de "Guardiões", que vieram do planeta Clarion.


O aviso era que o mundo iria acabar em 21 de dezembro de 1954, e com isso os magníficos “Guardiões” teriam instruído os fiéis a ficarem atentos no dia de resgate. No entanto, por causa de muitas zombarias e da mídia, o grupo perdeu muito de sua influência. Mesmo assim, está ativo até hoje.

Fundação Urântia

Este grupo é famoso e promove “O Livro de Urântia” como sua espécie de Bíblia. Essa galera acredita que essas escrituras são obra de alguns alienígenas, chamados de “Comissão Orvonton”. De acordo com eles, as mensagens escritas no livro vieram durante o sono ou em outros momentos de relaxamento total (meditação, viagem astral) para o médico Sadler, em meados de 1930.


Atualmente, existem inúmeros de grupos afiliados em dezenas de países. Só para você ter ideia, mais de meio milhão de exemplares do “O Livro de Urântia” já circularam pelo globo. De acordo com essas escrituras, o verdadeiro nome de Jesus era Michael e o universo é composto de sete anéis concêntricos, sendo que Deus habita no meio.


Além disso, a Fundação Urântia também afirma que o livro substitui a Bíblia com perfeição como a autoridade máxima da verdade sobre a vida, o universo e tudo mais. Se você ficou curioso a respeito, saiba que esse livro pode ser baixado gratuitamente na web.

O Círculo Cósmico da Comunhão
Este grupo foi formado no início de 1950, em Chicago. Seu fundador — um carteiro chamado William Ferguson (posteriormente ele passou a ser um fraudador condenado) —, afirmou ter feito contato com seres de outros planetas.


De acordo com suas palavras, ele foi subitamente transportado para a “Sétima Dimensão”, onde recebeu a iluminação plena. Além disso, também se tornou amigão de um ser chamado Khauga (uma espécie de deus, que teria levado Ferguson a Marte) e dos líderes dos venusianos — sim, nossos vizinhos que moram no planeta Vênus.


Ferguson também afirma que suas técnicas de relaxamento profundo (meditação, projeção astral) podem ajudar os membros a atingir um nível superior de consciência dimensional e permitir que eles façam uma viagem para fora de seus corpos terrenos.


Após Ferguson morrer, em 1967, a filial de Chicago assumiu o controle do grupo, que ainda está em plena atividade.






Fonte: Genizah
http://www.genizahvirtual.com/2014/07/religioes-que-acreditam-em-alienigenas.html

sábado, 13 de dezembro de 2014

Estudo oferece explicação científica para a divisão do Mar Vermelho

Computador simula dinâmicas de vento e movimento do mar Segundo o jornal The Washington Post, um dos eventos mais famosos...
por Jarbas Aragão

Estudo oferece explicação científica para a divisão do Mar VermelhoEstudo oferece explicação científica para travessia do Mar Vermelho


Computador simula dinâmicas de vento e movimento do mar

Segundo o jornal The Washington Post, um dos eventos mais famosos da Bíblia, a divisão do Mar Vermelho por Moisés, pode ter uma explicação científica. A estreia do filme Êxodo: Deuses e Reis, esta semana, tem contribuído para um amplo debate sobre o assunto.

Ao longo da história, a maioria dos cristãos aceita a narrativa como um milagre. Porém, Carl Drews, engenheiro do Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica dos EUA (NCAR), defende que pode comprovar como ocorreu a salvação dos judeus no episódio mais conhecido do Êxodo.

Drews, que se define como “um dos muitos cristãos que aceitam a teoria científica da evolução”, apresentou um estudo, mostrando com simulações em computador, como a divisão do Mar Vermelho pode ter sido um fenômeno meteorológico. As simulações no computador indicam que um forte vento vindo do leste poderia fazer a água retroceder até duas bacias antigas, formando uma espécie de curva ao longo do Mediterrâneo. Isso criou uma “ponte de terra” medindo cerca de 4 km de comprimento por 5 km de largura. Espaço suficiente para o povo liderado por Moisés passar. “As simulações encaixam bem com o que está relatado em Êxodo”, esclarece o pesquisador. Segundo ele, Moisés teve cerca de 4 horas para conduzir o povo até o outro lado.
travessia do mar vermelho Estudo oferece explicação científica para a divisão do Mar Vermelho


Não é de hoje que Drews estuda o tema. Em 2010, sua tese de mestrado para o curso de Ciências Atmosféricas e Oceânicas da Universidade do Colorado em Boulder, já propunha essa explicação. Atualmente, ele trabalha para o Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica, um dos principais institutos de pesquisa dos Estados Unidos.

No centro da proposta de Drews está a reconstrução da geografia do local na época do Êxodo. Ele aponta a maior probabilidade que um vento de 100 km por hora, soprando por 12 horas, poderia “encanar” numa faixa com pouco mais de dois metros de profundidade. Tudo baseado na “dinâmica de fluídos”, área de física essencial nos estudos sobre furacões. Assim que o vento parasse de soprar, as águas rapidamente voltariam a seu estado original.

Um aspecto levantado por ele e aceito amplamente pelos eruditos bíblicos é que a travessia não foi no Mar Vermelho que conhecemos, mas no Mar dos Juncos, situado mais ao norte. Mudanças radicais foram feitas pelo homem naquela região nos últimos séculos. Ele e sua equipe montaram um modelo que reproduz a dinâmica dos ventos na região do canal de Suez e no Delta Oriental do rio Nilo. Isso não mudou tanto com o passar do tempo. Há um relato de um fenômeno similar no ano de 1882, na mesma região.

Ao mesmo tempo, ele segue o relato do texto bíblico de Êxodo 14:21 “Então Moisés estendeu a mão sobre o mar, e o Senhor afastou o mar e o tornou em terra seca, com um forte vento oriental que soprou toda aquela noite. Sua intenção não é negar a intervenção divina, mas tentar explicar como ela aconteceu.

O professor Drews compilou todo seu estudo no livro Between Migdol and the Sea: Crossing the Red Sea with Faith and Science [Entre Migdol e o mar: A travessia do Mar Vermelho com Fé e Ciência]. Para o pesquisador, “Fé e ciência pode ser compatíveis, se você estiver disposto a considerar outras interpretações do texto, outras ideias de como as coisas poderiam ter acontecido”.

Fonte: Site Notícias Gospel Prime

http://noticias.gospelprime.com.br/estudo-moises-mar-vermelho-ciencia/?utm_medium=twitter&utm_source=twitterfeed