quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Meditações sobre David Miranda, sua seita, as maldições de seus seguidores e as Sagradas Escrituras




POR Rilda Santos






“O discípulo não é superior a seu mestre, mas todo o que for perfeito será como o seu mestre.” Lucas 6:40


Desde domingo, quando o blog Genizah anunciou o falecimento do líder da “Igreja Pentecostal Deus é Amor”, temos sido bombardeados, especialmente eu e o editor chefe Danilo Fernandes, por palavras ditas “amorosas”, “afáveis” e “edificantes”. Algumas delas “alertando-nos” sobre o mal que poderá nos sobrevir se não respeitarmos o mugido, quer dizer, “ungido” do Senhor, outras desejando-nos passear pelo inferno, e por aí vai.

Não acredita?


Acesse aqui e leia tudo na íntegra:
http://www.genizahvirtual.com/2015/02/morre-david-miranda-o-falso-profeta.html




Ao ver tantas pessoas preocupadas com nossa salvação, o destino eterno de nossas almas; tantas pessoas preocupadas com o nosso bem estar, tantas palavras de ânimo, passei a questionar-me sobre o tipo de mensagem que os seguidores do falecido senhor seguem. Considerem que o discípulo passa a assemelhar-se a seu mestre.


Bem, qual então é o perfil do “evangelho” que se prega lá? Vejamos:








Nesses áudios, vemos claramente David Miranda ameaçando ao povo da seita com a morte! Ameaçando até quem tem TV em casa! Ora, que espírito do diabo foi esse que revelou aquilo a ele? O Espírito Santo é que não foi nobres irmãos e irmãs em Cristo. DEUS NÃO COMPACTUA COM A MENTIRA!


Onde, nas Sagradas Escrituras, está escrito que Deus ama alguma placa denominacional? Onde está que a IPDA é superior às demais? O próprio Jesus disse, certa vez quando questionado sobre o porvir: “Derribai este templo, e em três dias o levantarei.” João 2:19. Percebam que o templo de Salomão era o lugar onde o próprio Deus era cultuado. Mas o Mestre está dizendo que Ele é superior ao templo. Noutro momento, Ele mesmo disse o seguinte sobre ter que ir a Jerusalém para cultuar a Deus: “Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai.” João 4:21. Notem que Jesus está simplesmente, desfazendo o conceito de que somente num templo se pode adorar a Deus. Deus é acima de tudo isso meus nobres! Então, se o próprio Jesus foi contra isso, como pode o Espírito Santo revelar algo contrário às Sagradas Escrituras? Está acaso Deus dividido? Com base nisso afirmamos: David Miranda foi um falso profeta!


Agora parem e pensem, os que frequentam essa seita e conseguem ainda raciocinar: No primeiro áudio ele diz que o Espírito Santo revelou-lhe que quem ousasse sair, iria morrer em breve. A Palavra de Deus diz: “Mas o profeta que ousar falar em meu nome alguma coisa que não lhe ordenei, ou que falar em nome de outros deuses, terá que ser morto'. "Mas talvez vocês se perguntem: 'Como saberemos se uma mensagem não vem do Senhor?' Se o que o profeta proclamar em nome do Senhor não acontecer nem se cumprir, essa mensagem não vem do Senhor. Aquele profeta falou com presunção. Não tenham medo dele.” Deuteronômio 18:20-22.


O próprio Deus está advertindo que haveria pessoas levantando-se para falar em nome Dele. E alerta que Ele não cumpriria tal profecia, haja vista Ele não ter pacto com a mentira, o erro, o engano. “E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas.”1 João 1:5. Irmãos, Deus não necessita da mentira para atrair os que são Seus por meio de Jesus Cristo. Ao ler as palavras do Senhor Jesus, não se vê esse tom de ameaça para com as Suas ovelhas. Seu tom de advertência era justamente para com os falsos profetas, que colocavam jugo pesado sobre as ovelhas, sendo que eles mesmos não o carregavam (acabei de recordar-me de um fato interessante, como David Miranda proibir o uso de televisões e ele mesmo possuir várias em sua casa, por exemplo).


Ainda no primeiro áudio, David Miranda distorce a passagem sobre Ananias e Safira relatada em Atos dos Apóstolos capítulo 5. A resposta se encontra nos versículos 3 e 4: mentiram ao Senhor! Eles venderam um terreno e afirmaram que ofertaram o valor total da venda para ajudar os irmãos pobres, querendo parecer pessoas generosas, mas, ao mesmo tempo, querendo ficar com uma parte do dinheiro. Decidiram mentir, dizendo que sua OFERTA foi o valor integral da venda do terreno. Deus não obrigou ninguém a vender terras ou a dar o valor total de suas propriedades. Pedro reconheceu o direito de Ananias e Safira de ficar com o seu terreno: “Conservando-o, porventura, não seria teu?” (5:4). Uma vez que decidiram vender, não foram obrigados a doar o valor total. Pedro acrescentou: “E, vendido, não estaria em teu poder?” (5:4). Ananias e Safira queriam o “crédito” por uma doação generosa, sem o sacrifício de perder todo o valor do terreno. Eles não prometeram nada a Deus!


Com base nisso afirmamos: David Miranda foi um falso profeta!


O que percebo no segundo áudio? Um déspota ameaçando seus seguidores. Um filho do mal lutando para não perder adeptos, mas mantê-los acorrentados sob a égide do medo e terror. Isso é o que eu percebo. Um filho das trevas que distorce Deus, colocando-O como um tirano e ditador, que tem prazer na morte e sofrimento do ímpio. Um argumento bastante parecido aos dos “falsos pais de santo” que ameaçam as vítimas, extorquindo-as cada vez mais. Mas as Sagradas Escrituras nos apresentam um Deus diferente, contrário do apresentado por David Miranda: “Desejaria eu, de qualquer maneira, a morte do ímpio? diz o Senhor DEUS; Não desejo antes que se converta dos seus caminhos, e viva?” Ezequiel 18:23 e “Mas, como está escrito:As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu,e não subiram ao coração do homem,são as que Deus preparou para os que o amam.” 1 Coríntios 2:9


Bem, esse foi o primeiro aspecto que eu quis trazer à reflexão de vocês, nobres irmãos e amigos. O segundo é o que já me dá maior preocupação, pois trata justamente do tipo de marca ou impressão que tal líder colocou na alma dos que o seguem. Observem atentamente esses tipos de postagens que copiamos do blog (tenham em mente o Evangelho de Lucas 6:40)
















Bem aos que quiserem saber mais das doces palavras ao estilo “sabor de mel” o blog está recheado. Até o momento dessa postagem não há uma participação sequer de algum seguidor da seita propondo ir às Escrituras, confrontar os ensinos de Jesus, dos apóstolos com os ensinos da IPDA e procurando corrigir os erros. Isso é preocupante, pois demonstra um fanatismo exacerbado, uma falta completa de leitura, compreensão das Escrituras e vida de oração. Demonstra, ademais, o que posuem no coração. Não conheceram a Jesus de fato. Não foram libertos pelo sangue do Cordeiro. Não provaram da liberdade verdadeira, que é advinda do conhecimento de Cristo através das Escrituras. São frutos podres, vindos de uma árvore seca que serve apenas para ser lançada na fornalha e queimada, como dizem as Escrituras:


“Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade. Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha;” Mateus 7:18-24.




O verdadeiro fruto é bom, transforma vidas como afirma a Palavra de Deus: “A ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas honestas, perante todos os homens. Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens. Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira, porque está escrito: Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor. Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.” Romanos 12:17-21. Observem que a proposta bíblica é completamente diferente das apresentadas nos comentários dos seguidores ou simpatizantes da IPDA. Ora, se pelo fruto se conhece a árvore e as demonstrações aqui são as mais vis, com base nisso afirmamos: David Miranda foi um falso profeta!


E por último, mas não menos importante, não escrevo tais palavras com a intenção de suscitar ainda mais ódio nas pessoas que, porventura, chegarem a ler esse artigo, mas sim chamá-las à leitura bíblica, confrontação com suas motivações e ações e submissão à vontade de Cristo. Cristo veio para libertar os cativos do jugo do diabo, do jugo da escravidão do pecado. Por Cristo Jesus, insisto com vocês para que pensem com seriedade em seus corações sobre as palavras do Mestre: “O discípulo não é superior a seu mestre, mas todo o que for perfeito será como o seu mestre.” Lucas 6:40. Faço isso nutrindo respeito para com a família enlutada, digo isso com sinceridade de coração.


Quem é seu mestre? Jesus ou David Miranda? Os dois se contrapõe! Os dois ensinam coisas diferentes! Os dois não têm parte um com o outro.



Comentários de Danilo Fernandes



Alguns devem se perguntar: Por que vocês compraram um barulho destes? Por que decidem fazer tais acusações justamente no dia da morte do falso profeta?

Primeiro: -Não decidimos fazer isto hoje. Fazemos há seis anos. Fomos chamados para isto.

Segundo: -Ao longo destes seis anos atendemos, amparamos, secamos as lágrimas e apresentamos o Evangelho do Reino, o verdadeiro, que não aprisiona, mas liberta, para muitos feridos egressos desta seita maligna e de muitas outras arapucas religiosas. Aqui mesmo, entre nossos colaboradores, temos quem tem família escravizada por estas seitas. 

Terceiro: -Sabemos que este momento é crucial. As atenções se voltam para a morte do líder e muitos conjecturam acerca dos rumos da organização religiosa. Da mesmo forma, surgem os questionamentos de muitos escravos da religião que percebem que profecias não se cumpriram, seu líder não foi arrebatado, mas morreu de morte ordinária, um homem cheio de defeitos. 


Mas ai de vós, David Miranda, Edir Macedo e Valdemiro Santiago! Colocam jugo sobre o povo das suas denominações, um fardo pesado mas eles mesmos não conseguem carregar.
Mas ai de vós, David Miranda, Edir Macedo e Valdemiro Santiago! pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando.
Quarto: -Vai haver saque no aprisco. A principal motivação de David Miranda ao impedir seus fieis de possuírem (ou até assistirem) uma TV não é o mal que a programação maligna possa fazer ao seu rebanho, mas a concorrência de Macedo, Valdemiro e outros. É pura reserva de mercado. Agora, com o líder morto, estes outros lobos vão partir para o ataque e os perdidos sairão de uma prisão para entrar em outra.

Quinto -Sim! Nós simpatizamos com o luto das pessoas! Contudo, este luto não é mais importante do que as VIDAS ali aprisionadas. Diante destas vidas, a dor dos que estão em luto é pouco importante. Muitas almas estarão estes dias na internet em busca de notícias e respostas. Oramos para que achem bons sites que falem a verdade e as exponham ao que é de Jesus.

"Deixem que os mortos enterrem os seus mortos", disse Jesus. 

Nós do Genizah e muitos outros blogs apologéticos estamos preocupados com os parentes dos fieis da Deus é Amor que se suicidaram em função das amarras e do jugo desta seita, dos atormentados, dos pequeninos na fé, dos acorrentados da religião. Estes nos preocupam e por estes vamos seguir levando pedradas e ouvindo as reprovações dos "bons mocinhos" da religião que não fazem nada além de esquentar os bancos de suas igrejas empoeiradas e cheirar seus dedinhos molhados no próprio fedor. 

Jesus conhece nosso coração.



Fonte: Genizah
http://www.genizahvirtual.com/2015/02/meditacoes-sobre-david-miranda-sua.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+Genizah+%28Genizah%29

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Morre David Miranda, o falso profeta fundador da seita Deus é Amor




Morreu aos 79 anos na noite deste sábado (21/02/2015) o missionário David Martins Miranda, fundador da Igreja Pentecostal Deus é Amor. Morreu de infarto, como informou a igreja em nota. Não foi arrebatado ou coisa parecida como era sugerido aos seus fiéis em profecias absurdas.


O missionário costumava afirmar em tom de ameaça que o fiel que deixava a sua denominação perdia a salvação. Rebeldes iriam para o inferno. Não havia salvação fora da Deus é Amor. Portanto, lamentamos informar que as portas do Céu estão fechadas, pois David Miranda partiu carregando as chaves e... Nada aconteceu!


Hoje constatamos que milhares de seus fies lamentam a morte do seu lider nas redes sociais. Obviamente, um ato de rebeldia, já que o missionário condenava o uso de todas as redes sociais e vetava o seu acesso aos membros da Deus é Amor.


O culto fúnebre está marcado para as 8h deste domingo, no Templo da Glória de Deus, localizado na Avenida do Estado, nº 4568. O templo tem capacidade para mais de 60 mil pessoas.


O missionário fundou a igreja em 1962. Hoje, a Deus é Amor tem mais de 11 mil igrejas espalhadas pelo Brasil e mais em 136 países.


A seguir um artigo de Johnny Bernardo, nosso colaborador, sobre a seita Deus é Amor e o seu fundador:


David Miranda pregava em um púlpito a prova de balas - medo de atentado. Fiéis costumavam impor as mãos no vidro a fim de ser abençoados.

Em junho de 1962, em fins da segunda onda pentecostal brasileira, surge uma denominação autônoma fundada por um ex-católico, chamado David Martins Miranda. Com então 24 anos de idade, Miranda acabara de ser consagrado a pastor e iniciava suas pregações de cura e libertação. Sua conversão ocorrera há quatro anos, ao participar de um culto na Igreja Pentecostal Maravilha de Jesus, presidida pelo Pr. Leonel Silva. Sua mãe e avó congregavam, já há alguns anos, na Tenda de Deus Pró-Salvação e Cura Divina, e insistiam em sua conversão. Acabou cedendo às pressões.


Em 1960, David Miranda e sua família ingressam na Igreja Pentecostal do Brasil, recentemente fundada pelo Pr. Roberto Anésio. Dois anos depois procura o pastor local para lhe contar uma revelação – a primeira de “muitas” que marcariam seu ministério. Segundo Miranda, às 2h50 do dia 2 de novembro de 1961, Deus lhe revelou algo a respeito de sua chamada. Um mês depois lança os fundamentos da Igreja Pentecostal Deus é Amor, ao realizar os primeiros cultos em um pequeno salão da Vila Maria. De lá, em 1970 a sede da IPDA é transferida para a Rua Conde de Sazerdas, 185, em duas casas de madeira transformadas em uma igreja. A sede definitiva da IPDA somente seria inaugurada em 1980, após a aquisição de uma área de 27.000 metros quadrados, na Avenida dos Estados, 4568, Baixada do Glicério, São Paulo – SP.


Atraídas pelas campanhas de cura e libertação, multidões fluíam todos os dias para a sede mundial da IPDA. Quatro anos depois cerca de 5.000 mil pessoas, dentre as quais os filhos do fundador, são batizados. Em 1989, David Miranda realiza sua primeira grande concentração internacional, na Praça Manco Cápac, Lima (Peru), em meio a um conflito civil liderado por guerrilheiros do Sendero Luminoso. A cura de um jovem que havia perdido a língua por uma overdose – consequência do uso de drogas -, em 1993, desencadeou uma nova corrida de fieis para os salões da IPDA. No ano seguinte, ao retornar de uma viagem a Buenos Aires, Miranda lança o jornal “O Testemunho” e dá início aos projetos em torno da “Assembleia dos Santos” – concentração de “milagres” que reúne centenas de pessoas de diversas cidades e países.


Em uma dessas concentrações, em 1º de maio de 1996, em Vitória (ES), três mortos teriam “ressuscitado” após uma oração de David Miranda. A mídia local, impressionada com os “milagres” e com o amplo número de participantes da cruzada, estampa nos principais jornais e noticiários que “nem mesmo o Papa consegue reunir tanta gente.” No começo de 1997, novo recorde: 400 mil pessoas comparecem ao Aterro do Flamengo (Zona Sul do Rio de Janeiro) para ouvirem a mensagem de David Miranda. Nos países vizinhos ao Brasil, pelo menos 280 mil pessoas são reunidas, sendo a maior concentração realizada entre os dias 04 e 05 de outubro, quando 150 mil peruanos compareceram ao estádio Nacional, em Lima.



O crescimento nos primeiros anos foi enorme e com grande capilaridade

A sede é cinco vezes maior do que a catedral da Sé


Inaugurada em janeiro de 2004, a nova sede mundial da Igreja Deus é Amor (construída no mesmo local da antiga), exemplifica o “sucesso” das campanhas conduzidas por David Miranda. A obra tem tamanho de shopping center, arquitetura de gosto duvidoso, comporta 22 mil pessoas sentadas e é cinco vezes maior que a Catedral da Sé, lembra Sérgio Gwercman, que assina a matéria “Evangélicos” (Super 02/2004, p.52). De fato, em seus cinquenta anos de existência a IPDA tem demonstrado capacidade de crescimento fora do normal. Daquele pequeno salão da Vila Maria, inicialmente composto por 70 membros, a Deus é Amor possui hoje mais de 1 milhão de membros.


Segundo Emilio Zamboni Mendonça, da Universidade Metodista, “o rádio foi o principal ponto de apoio do crescimento da Igreja Pentecostal Deus é Amor.” Há, segundo Freston (1995, p.128), pelo menos cinquenta placas acima do púlpito do Templo da Glória de Deus, na Baixada do Glicério, com indicações das rádios que veiculam os programas da IPDA. Transmitido a partir da sede mundial, o programa “A Voz da Libertação” chega aos lares de milhares de brasileiros e é retransmitido para mais de 17 países via uma rede de mais de quarenta rádios pertencentes à Igreja Deus é Amor.

Particularidades

Diferente da Igreja Universal do Reino de Deus, a IPDA tem como base de atuação os menos favorecidos da sociedade. “Os muito pobres são mais facilmente atingidos pela pregação dos milagres e dos prodígios”, explica Leonildo Silveira Campos (Lusotopie, 1999, pp. 355 – 367). Dada à ênfase em milagres e cura divina – característica comum à segunda onda pentecostal brasileira -, a IPDA tem alcançado centenas de pessoas ao redor do mundo. “É uma agência de cura divina”, classificam os pesquisadores Mendonça e Velasques (Chestnut, 1997, p. 38). Cura divina, exorcismo, combate às religiões afro-brasileiras e ao catolicismo popular são algumas de suas características, seguidas e adaptas pelo Neopentecostalismo. Freston (1995, p. 128), associa a presença de obreiros uniformizados (na IURD) e o uso de técnicas de exorcismo (no palco e com direito a entrevista com demônios), como elementos oriundos da Igreja Pentecostal Deus é Amor. O uso da radiodifusão também seria um elemento seguido pela IURD e seus clones.


Nos programas radiofônicos e nas mais de 12 mil congregações da IPDA, David Miranda exerce controle absoluto sobre os membros. O regulamento interno, aprovado em 1986 e adaptado nove anos depois, estabelece uma série de normas às quais os membros são convidados a seguir: aos homens, é proibido o uso de bigode, costeletas, bermudas e camisetas sem mangas; às mulheres, corte dos cabelos, calça cumprida, maquiagem e adornos. Há outras restrições – impostas a membros de ambos os sexos -, como não participação em festas, locais de entretenimento, porte de armas de fogo, modalidades esportivas e aquisição de aparelhos de televisão.


Embora considere natural que uma igreja desenvolva sua identidade com base em usos e costumes, o teólogo Alex Belmonte chama a atenção para a base teológica. Segundo ele, uma das causas da fragilidade doutrinária da IPDA deve-se a ausência de uma base teológica sustentável. Opinião compartilhada por Sidnei Moura que, por 15 anos, congregou na IPDA. “A Igreja acabou cedendo, por longos anos, a uma série de novos modismos que, aliados a falta de conhecimento bíblico e a centralização radical da pregação em temas subalternos e ênfase demasiada em milagres e experiências pessoais, encontrou em seu seio um campo fértil para seu desenvolvimento”, avalia Moura. Ele cita ainda a exposição ao medo como uma forma de coerção. “Os fieis acabam seguindo as imposições da igreja principalmente por coerção, que é aplicada através da exposição ao medo: constantemente são bombardeados pelos sermões recheados de discursos de medo da condenação eternar e exposição aos demônios”.

Polêmicas

A Igreja Deus é Amor vem enfrentando uma série de problemas desde pelo menos 1976, quando 26 pessoas morreram vítimas de uma queda de uma laje, ao participarem da inauguração de uma filial da IPDA no Rio de Janeiro. Processado, David Miranda foi absolvido. Nove anos depois, Miranda, sua mulher e filha são denunciados à justiça de Porto Alegre por supostos “crimes” de curandeirismo e estelionato, mas acabaram livres das acusações. No começo de 2000, nova bomba: um ex-tesoureiro da IPDA (que teria trabalhado para a Igreja por 18 anos) procura a TV Bandeirantes para fazer uma série de denúncias contra a Igreja, que envolviam remessas ilegais de dólares para o exterior e associação com o narcotráfico. De acordo com o advogado Ruben Cavalheiro, representante da IPDA à época, o ex-tesoureiro vinha tentando “extorquir” a Igreja em R$ 1,5 milhão e ameaçado de tornar públicos alguns documentos oficiais.


Apesar de declarações do advogado da IPDA – de que o ex-contador teria tentado extorquir a igreja – e de que nenhuma condenação teria sido imposta à cúpula, o testemunho de Guilherme Filho Prado serviu de base para uma operação de busca e apreensão na casa de David Miranda, em setembro de 2000, e outras investigações promovidas pela PF de Foz do Iguaçu, São Paulo e Rio de Janeiro, além de CPIs do Narcotráfico de São Paulo e Brasília. A suspeita é de que a Andy Viagens e Turismo, com escritório na Vila Mariana (SP) e de propriedade da Igreja Deus é Amor, serviria de base para operações de lavagem de dinheiro. De acordo com investigações realizadas pela Polícia Federal, somente entre 1992 e 1996 – portanto, anterior às denúncias de Prado – cerca de 37 bilhões de reais teriam deixado o Brasil através de Foz do Iguaçu e tinham como destino contas do fundador da Igreja Deus é Amor. Indiciado por evasão de divisas e lavagem de dinheiro, David Miranda compareceu a Superintendência da Polícia Federal de São Paulo na tarde de 16 de maio de 2000 para prestar esclarecimentos sobre o envio de remessas de dólares para contas associadas à CC-5.


Dúvidas


Até que ponto o relato de Guilherme Filho Prado pode ser considerado confiável? Sidnei Moura lembra que, por ocasião de uma sabatina na ALESP, na qual Prado foi convidado como testemunha chave, após entrar em contradição em diversas declarações que haviam sido dadas a imprensa, um dos parlamentares o questionou sobre possíveis provas. Em resposta, o ex-contador afirmou que teve acesso a várias remessas ilegais de dinheiro, mas que a única coisa que podia afirmar sobre o envolvimento de traficantes foi ter visto os filhos de David Miranda recebendo tais traficantes na sede mundial. Na ocasião, a IPDA fez uma gravação de trechos da sessão onde Guilhermino Filho Prado é confrontado e que passou a ser transmitida em meios de comunicação ligados a IPDA. “Lembro-me que era obrigado veicular a gravação mesmo em programas de horários alugados em rádios, e nesses programas a ordem era rodar de meia em meia hora, como também nos cultos da igreja sede – houve até cultos especialmente convocados apenas para se ouvir tal gravação”, declara Sidnei Moura.


Ainda de acordo com Moura, o que lhe pareceu estranho foi o fato de que, antes de ir à ALESP, o ex- contador fez um verdadeiro alarde em diversas emissoras de rádio e televisão, e na última aparição na TV disse ter provas irrefutáveis da participação da IPDA nesse tipo de delito, e que apresentaria documentos que comprovariam tal esquema. “Depois de falar secretamente com membros da comissão foi a público sem uma única prova concreta sobre a denúncia – de envolvimento da IPDA com o narcotráfico”, revela Moura. O que ocorreu entre a última declaração de Prado, na TV, e a sabatina na ALESP? Não se sabe ao certo até que ponto o ex-contador teria mentido ou ocultado provas, e até onde possuía informações, mas seus depoimentos na TV Bandeirantes e, principalmente, na Polícia Federal, foram claros no sentido de que a Igreja Deus é Amor teria algum tipo de envolvimento com esquemas ligados ao tráfico de drogas.


A dúvida é de que maneira e por meio de qual elo frágil narcotraficantes teriam se infiltrado. Sidnei Moura parece nos indicar um caminho. “O caso Guilhermino não foi o único a levantar dúvidas sobre o tema – os dois filhos de David Miranda são conhecidos por terem uma relação instável na igreja, saem e voltam com frequência, e quando saem envolvem-se com traficantes. Porem, a força do sistema é extremamente cuidadosa para não expor suas fragilidades – daí a incerteza sobre todas essas acusações”, conclui Moura. Sobre a maneira como a instituição lidava com as denúncias, Moura ressalta que o “caso acabou sendo proibido de ser falado na igreja e membros chegaram a ser disciplinados por terem acesso a tais reportagens ou por insistirem no assunto.” Em uma circular despachada recentemente pela sede mundial da Igreja Deus é Amor, obreiros e demais membros são expressamente proibidos de manterem qualquer tipo de contato com ex-membros da IPDA.

Outros problemas

Se externamente a IPDA enfrenta acusações de evasão de divisas e lavagem de dinheiro (ainda não comprovadas), internamente também vem enfrentando uma série de problemas que atingem diretamente a cúpula. Com idade avançada (completou 76 anos em julho de 2012), David Miranda começa a dar sinais de que em breve terá de ser substituído na presidência. A dúvida permanece: quem deverá substituí-lo? Sérgio Sóra, ex-braço direito e genro do fundador era, até pelo menos o começo de 2005, a pessoa mais cotada para assumir a presidência mundial da IPDA. No entanto, desentendimentos e troca de acusações forçou a sua saída e de sua esposa Léia Miranda (atualmente se encontram separados, sendo Sérgio Sóra, hoje, presidente da Igreja Evangélica Vida em Cristo, com sede no Rio de Janeiro; Léia Miranda congrega em uma igreja batista, também no Rio de Janeiro). Antes de Sóra, outros dois líderes da IPDA já haviam deixado a denominação para fundar seus próprios ministérios, entre 1991 e 1995. O “autoritarismo” de David Miranda, o rígido controle dos cofres das filiais e mudanças repentinas nas diretrizes da Igreja, são algumas das queixas e motivos de deserção. Declarações polêmicas do fundador, como a de que “Deus não opera nas Assembleias de Deus” e de que as redes sociais Twitter e Facebook (quando pessoas próximas e demais membros da IPDA possuem perfis) são “ferramentas do Diabo”, também são alvos de críticas e descontentamento geral.






Johnny Bernardo é jornalista, pesquisador da
religiosidade brasileira e colaborador do Genizah




Fonte: Genizah
http://www.genizahvirtual.com/2015/02/morre-david-miranda-o-falso-profeta.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+Genizah+%28Genizah%29

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

O fanatismo religioso e os desastres privados: quando a ressurreição milagrosa não vem

Por Carlos Orsi

Cena de cura no Evangelho de Mateus, ilustração de Gustave Doré. (Foto: reprodução)
Quando se fala nos perigos do fanatismo religioso, muitas vezes o que vem à mente são guerras e atentados terroristas. Mas a verdade é que há um sem-número de desastres privados – que vão do trágico ao patético – causados pela fé cega. No início de dezembro do ano passado, por exemplo, a imprensa internacional deu algum destaque ao caso de uma família da província de Ontário, no Canadá, que manteve o cadáver do pai em casa por seis meses, enquanto rezava por sua ressurreição.
Histórias assim são menos raras do que parecem. Tendem a sumir depressa do noticiário, relegadas às seções de curiosidades inócuas. Mas não são inócuas.
Em 2011, autoridades colombianas descobriram que uma mulher vinha guardando o corpo do marido em casa já há um mês, na esperança de uma ressurreição milagrosa. Um ano antes, uma multidão de fiéis cristãos tinha se reunido no Quênia para rezar pela ressurreição de dois pastores evangélicos mortos num acidente de carro. O evento, a céu aberto, culminou com a viúva de um dos pastores sacudindo o caixão do marido, para que ele acordasse. Sem efeito.
Como já havia mencionado num artigo anterior, em 2013 um grupo de três religiosos sul-africanos foi preso por manter um cadáver num barraco por três meses, tentando trazê-lo volta à vida.  E em 2002, na cidade de Paulínia (SP), dez pessoas chegaram a ser presas num cemitério, depois de violar um túmulo e remover o corpo de um bebê do caixão. Um dos envolvidos, um pastor neopentecostal, pretendia ressuscitá-lo.
Muitas dessas ocorrências parecem se basear numa leitura literal de um versículo do Evangelho de Mateus (10:8), em que Jesus promete a seus discípulos o poder de curar os doentes, ressuscitar os mortos e expulsar demônios.
No caso canadense, esse literalismo aparece implicado, também, na morte do homem que falhou em voltar dos mortos:  Peter Wald, de 52 anos, era diabético e morreu em decorrência de uma infecção no pé que recusou a tratar, “acreditando que Deus o curaria”, segundo reportagem do jornal “Toronto Star”.
Nesse aspecto, a morte de Wald lembra a de uma menina americana de 11 anos, Madeleine Kara Neumann, também diabética, morta em 2008 enquanto seus pais rezavam para que fosse curada, recusando-se a levá-la a um hospital. A garota teria agonizado ao longo de um mês, enquanto os pais esperavam que suas preces fossem ouvidas. O pai, Dale Neumann, depois declarou à Justiça que se levasse a filha a um hospital, “estaria pondo o médico acima de Deus”.
Há situações em que a expectativa de ressurreição imediata abre as portas para a violência. Um caso clássico aconteceu na Europa, na fronteira entre Alemanha e Suíça, durante a Páscoa de 1823, quando Margaret Peter, de 29 anos, pediu para ser crucificada nas tábuas do piso de seu quarto. Ela foi atendida, pois havia prometido voltar dos mortos em três dias. Sua irmã, Elizabeth, tinha sido morta a marteladas e pauladas minutos antes, também na expectativa da ressurreição.  Dias depois, quando a polícia finalmente entrou na casa, parentes e amigos das duas jovens ainda rezavam pelo retorno de ambas.
Em tempos mais recentes – o ano era 1993 –, na Austrália, Joan Vollmer foi morta pelo marido e amigos durante um ritual de exorcismo. Todos os envolvidos esperavam que ela ressuscitasse, uma vez livre do demônio: o marido, Ralph Vollmer, convidou a mídia para assistir à ressurreição, que deveria ocorrer durante o funeral. Mas Joan não se levantou do caixão.
Esse tipo de situação mobiliza paixões. Tanto Ralph Vollmer quanto os pais de Madeleine Neumann receberam várias manifestações de apoio. Mais de cem anos antes, a casa da família onde Margaret Peter foi morta, na Alemanha, viu-se demolida por ordem judicial – a fim de evitar que se convertesse num santuário dedicado à “mártir”.

Fonte: Site da Revista Galileu
http://revistagalileu.globo.com/blogs/olhar-cetico/noticia/2015/02/o-fanatismo-religioso-e-os-desastres-privados-quando-ressureeicao-milagrosa-nao-vem.html